domingo, 31 de julho de 2016

Mostra do Filme Livre em Mateus Leme



Confiram as datas, o horário (sempre às 17 horas), a classificação indicativa e os dados dos filmes que exibiremos em agosto:
06/08 : Sessão Premiados I:
*Ruby (Jorge Loureiro, Guilherme Soster, Luciano Scherer, 17 minutos, 2014, RS) [Ruby é um pintor outsider que vive sozinho em uma casa próxima à praia.]
*Subsolos (Simone Cortezão, 33 minutos, 2015, MG) [Um solitário porteiro de uma mineradora vaga entre funções e as oportunidades de trabalho dentro da indústria, enquanto uma mulher que mora na fronteira com uma cava de mineração. Por causa do crescimento da cava, Rita é a última moradora que resiste ao fim do bairro e sobrevive em meio às ruínas. Romulo, perdido entre grandes paisagens entrópicas e produtivas, decide seguir com o minério rumo a outro continente.]
*Carruagem rajante (Lívia de Paiva, Jorge Polo, 22 minutos, 2016, RJ). [“Enquanto a estrada se transforma, ele também, criando uma brisa que se espalha.” ]
Duração da sessão: 72 minutos
Classificação indicativa da sessão: 12 anos
13/08 : Sessão Premiados II:
*O rosto da mulher endividada (Renato Sircilli, Rodrigo Batista, 30 minutos, 2015, SP) [Os rostos de dez mulheres, mães dos realizadores, ampliam o rosto desgraçado de Helena Fracasso e ensaiam as desgraças que acometeram sua vida. Acompanhamos sua trajetória a partir da abertura democrática do Brasil, seu sucesso no mercado de trabalho e sua decadência financeira e subjetiva. Como saldo final de uma vida (ou de dez), resulta a lenda urbana de uma mulher fantasmática, dirigindo um Palio prateado e disposta a ajudar a mulher brasileira endividada que pragueja contra a própria vida.]
*Outubro acabou (Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes, 24 minutos, 2015, RJ) [Além do indômito desejo de realizar as enormidades que o tentavam, nada mais era sagrado.]
*Monstro (Breno Baptista, 20 minutos, 2015, CE) [Balada de amor e destruição.]
Duração da sessão: 74 minutos
Classificação indicativa da sessão: 16 anos
20/08 : Sessão Premiados III:
*A seita (André Antônio, 71 minutos, 2015, PE)
Classificação indicativa: 16 anos
[2040 foi um ano importante pra mim por duas razões. A primeira é que foi o ano em que eu decidi deixar as Colônias Espaciais e voltar a morar no Recife. A segunda é que foi em 2040 que eu descobri a existência da Seita.]
27/08 : Sessão Mundo Livre:
*Parque soviético (Karen Black, 10 minutos, 2013, RJ) [Amor é guerra fria.]
*Indian wells (Lucas Boskovitz, Thomas Arruda, 17 minutos, 2015, SP) ["Nunca pensei que o tédio pudesse ser a causa de um olhar, ou que o tênis pudesse ser a razão para um filme."]
*Escape from my eyes (Felipe Bragança, 33 minutos, 2015, RJ) [“Eles veem um homem negro e pensam que viram um leão”. Documentário e imagens ficcionais se misturam para contar as memórias e sonhos de três refugiados de guerra vivendo acampados em uma praça no coração de Berlin]
*Sugar freeze (Louise Botkay, 10 minutos, 2011, RJ) [Uma história fantástica de amor fraterno à beira do Rio Congo em Brazzaville.]
Duração da sessão: 70 minutos
Classificação indicativa da sessão: 14 anos
Filmes feitos por brasileiros no exterior.
28/08 : Sessão Longa Livre:
*Mataram meu irmão (Cristiano Burlan, 77 minutos, 2013, SP)
Classificação indicativa: 12 anos
[Reconstituindo os detalhes da morte de seu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrida há 12 anos, o cineasta Cristiano Burlan lança-se a uma jornada pessoal que conduz ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da perferia paulistana, como o Capão Redondo, onde morava a família e o irmão, de 22 anos, foi morto com sete tiros, em 2011. Explorando as razões do envolvimento do irmão com drogas e roubo de carros, o diretor expõe partes de sua própria história familiar, ouvindo parentes e amigos, cujos depoimentos trazem à tona os destinos de diversos personagens, mapeando o histórico de dolorosas feridas emocionais.]
Sempre às 17 horas.
Mais informações sobre a Mostra do Filme Livre e outros Cineclubes participantes em:
www.mostradofilmelivre.com

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

EXPERIMENTAR O EXPERIMENTAL



10/01 – THE ANGELIC CONVERSATION [de Derek Jarman, Inglaterra, 1987, 77 min]: Dois homens encontram-se em paisagens espectrais enquanto Judi Dench recita sonetos de Shakespeare.
17/01 – AS PEQUENAS MARGARIDAS (foto) [Sedmikrasky, de Vera Chytilová, Tchecoslováquia, 74 min, 1966]: Duas garotas decidem desconstruir o mundo ao seu redor sendo depravadas.
24/01 - CONSPIRADORES DO PRAZER [Spiklenci slasti, de Jan Svankmajer, República Checa, Suécia, Inglaterra, 88 min, 1996]: Inspirado por Sacher Masoch, Marquês de Sade, Luis Buñuel e Max Ernst, o diretor combina elementos cinematográficos e técnicas de animação para colocar na tela as mais bizarras expressões sexuais, com humor e diálogos absurdos.
31/01 - BLUE [de Derek Jarman, Inglaterra, Irlanda do Norte, 79 min, 1993]: Obra póstuma do poeta, pintor e cineasta Derek Jarman, realizado quando sua saúde já estava bastante debilitada em decorrência da Aids. Um filme monocromático inspirado nas idéias do pintor francês Yves Klein e em reflexões pessoais sobre arte, poesia, memória, tempo e morte.
07/02 - ALGO DIFERENTE [de Vera Chytilová, Tchecoslováquia, 125 min, 1963]: A promissora ginasta Eva e a fatigada dona de casa Vera interagem com o mundo de maneiras diferentes, mas compartilham sentimentos universais. Primeiro filme da diretora, falecida em 2014.
14/02 - ALICE [Neco z Alenky, de Jan Svankmajer, Tchecoslováquia/Suíça/Reino Unido/Alemanha Ocidental, 86 min, 1988]: Na contramão de outras adaptações excêntricas e alegres, temos aqui um retrato mais sombrio e melancólico dos livros de Lewis Carroll.

Sempre aos domingos, às 17 horas, no Cineclube da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida.

Visite as páginas da Casa no Facebook:
fb.com/casadecassia
fb.com/cinepreciosidade

sábado, 21 de junho de 2014

DURANTE A COPA, UM CICLO SOBRE FUTEBOL NA CASA DE CÁSSIA DE MATEUS LEME


Neste mês e em julho, enquanto durar a Copa do Mundo, o cineclube da Casa de Cássia, em Mateus Leme, está apresentando um ciclo de filmes sobre futebol. A programação começou no sábado passado, 14, com o filme “Heleno, o Príncipe Maldito” (2012), de José Henrique Fonseca, com Rodrigo Santono, Aline Moraes e Othon Bastos.
A programação prossegue neste sábado, 21, às 17 horas, com o filme "Boleiros - Era uma vez o futebol (1998), de Ugo Giorgetti, com Lima Duarte, Otávio Augusto e Rogério Cardoso. Ex-jogadores de futebol reunem-se, num bar em São Paulo, para lembrar o tempo em que jogavam profissionalmente. Segundo o goleiro Gilmar, bicampeão mundial de 58 e 62,  foi o melhor filme que viu sobre futebol.
No dia 28, sábado, às 17 horas, será a vez de "Pelé Eterno" (2004), um documentário de Anibal Massaini Neto feito com base em roteiro escrito por José Roberto Torero, que contou com a colaboração de Armando Nogueira. Feito com material de arquivo e depoimentos, inclusive do próprio Pelé, o filme demorou cinco anos para ficar pronto, por causa das pesquisas que exigiu.
 
No dia 5 de julho, sábado, às 17 horas, será exibido o filme mineiro "Narradores - Memórias Afetivas de Futebol" (2013), de Xande Pires e Júnia Carvalho. Com participações de Fernando Brant, Gilberto Silva e Dadá Maravilha, entre outros, trata-se de um documentário sobre os locutores de futebol que acompanharam as copas desde 1954.
 
No dia 12 de julho, sábado, às 17 horas, será apresentado "Garrincha, Estrela Solitária" (2003), de Milton Alencar, com André Gonçalves, Taís Araújo e Marília Pêra. Baseado no livro e Ruy Castro, o filme acompanha a trajetória do personagem desde 1953 até o bicampeonato mundial de 1962, e sua relação com a cantora Elza Soares.
 
 Aos domingos, às 17 horas, prossegue o projeto Cinepreciosidades, curado pelo escritor e cinéfilo Matheus Matheus, apresentando a cada sessão uma surpresa, entre filmes raros, "cults", "undergrounds" e modernos.
Os filmes são exibidos em sala dotada de projeção e som digital e tela de 70 polegadas. O lugar tem 23 lugares. Os ingressos são distribuídos 30 minutos antes da sessão.
CINECLUBE DA CASA DE CULTURA CÁSSIA AFONSO DE ALMEIDA
Rua Meyer, 105. Vila Suzana (Reta). 35670-000 - Mateus Leme, M.G.
(31)3535-1721, 9247-6574 e 7579-7815

terça-feira, 8 de abril de 2014

CINECLUBE DA CASA DE CÁSSIA APRESENTA EM ABRIL A MOSTRA DO FILME LIVRE DE 2014

O cineclube da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida faz a sua programação de abril com uma seleção de filmes da Mostra do Filme Livre 2014, que há 13 anos se realiza no Brasil, apresentando filmes feitos por conta própria que ousam em sua linguagem. Concorrendo com cineclubes de todo o Brasil, o cineclube da Casa de Cássia colocou-se entre os 30 selecionados para apresentar uma versão reduzida da mostra, constituída de três longa-metragens e dois programas de curtas-metragens. A mostra Cineclubes Livres se estende até o dia 3 de maio. 

A mostra começa no próximo sábado, 5, às 17 horas, com a apresentação da sessão Cavídeo, com o filme "Cidade de Deus - 10 Anos Depois", de Cavi Borges e Luciano Vidigal. O filme documenta  o que aconteceu com os atores do celebrado filme de ficção "Cidade de Deus", de Fernando Meireles, dez anos depois. Com Seu Jorge, Alice Braga, Leandro Firmino da Hora e outros.

No dia 12, às 17 horas, ocorre a sessão Homenagem à Cineasta Ana Carolina, com a apresentação do filme "Das Tripas Coração", de 1982, com Antônio Fagundes, Dina Sfat, Xuxa Lopes, Ney Latorraca, Miriam Muniz, Álvaro Freira, Cristiane Torloni Nair Belo e Cristina Pereira. O filme é o segundo de uma trilogia dedicada à libertação da mulher, constituído também dos longas "Mar de Rosas" (1978) e "Sonho de Valsa" (1988). No filme, um colégio de moças vai ser fechado e o interventor permite às meninas realizarem, em sonho, tudo o que a administração anterior, contida pela ditadura militar da época, não lhes permitiu. Segundo a crítica, o filme é um "Zero de Conduite" (o filme de Jean Vigo de 1931) "bárbaro e nosso".

No dia 19, às 17 horas, acontece a sessão Longa Livre, com a apresentação de "Luíses - Solrealismo Maranhense", de Lucian Rosa. Produção do Maranhão de 2013, o filme passa-se na cidade de São Luís, onde os ludovicenses enfrentam situações surreais para seguirem vivendo em meio a um cotidiano brutal, mas não percebem que estão passando por essa situação. 

No dia 26, às 17 horas, a sessão Mundo Livre apresenta uma seleção de filmes curtos feitos por brasileiros no exterior ou cuja temática verse com territorialidades. Os filmes são os seguintes: "Square Times", de Daniel Caetano; "Estação Bahia", de André Michiles e Fábio Bardella; "Turismo de Guerra", de Felipe Raphael Lopes Ivanicska; "Tango", de Louis Robin; "Delírios de Françoise", de Lucas Pelegrino Bonalumi; "Relatório Número Um", de Ricardo Mendonça; "Hoje", de Alessandra Colasanti; e "Vuvuzela's Dream", de Felipe Kowalczuk. 

Aos domingos, às 17 horas, prossegue o projeto Cinepreciosidades, curado pelo escritor e cinéfilo Matheus Matheus, com a exibição de filmes raros, "cult", "underground" e contemporâneos, garimpados entre colecionadores e outras fontes.
 
Os filmes são exibidos em sala dotada de projeção e som digital e tela de 70 polegadas. O lugar tem 23 lugares. Os ingressos são distribuídos 30 minutos antes da sessão.
 
CINECLUBE DA CASA DE CULTURA CÁSSIA AFONSO DE ALMEIDA
Rua Meyer, 105. Vila Suzana (Reta). 35670-000 - Mateus Leme, M.G.
(31)3535-1721, 9247-6574 e 7579-7815

 

sábado, 15 de março de 2014

Mostra do Filme Livre no Cineclube da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida:



05/04 - Sessão Cavídeo : Cidade de Deus - 10 anos depois, de Cavi Borges e Luciano Vidigal
12/04 - Sessão Homenagem à cineasta Ana Carolina : Das Tripas Coração
19/04 - Sessão Longa Livre : Luíses - Solrealismo Maranhense, de Lucian Rosa
26/04 - Sessão Mundo Livre : Seleção de curtas feitos por brasileiros no exterior
03/05 - Sessão Curtas Livres : Curtas experimentais do atual cinema brasileiro

Horário das sessões: 17 horas

Sinopses e maiores informações:
www.mostradofilmelivre.com
www.facebook.com/casadecassia

quinta-feira, 6 de março de 2014

HOMENAGEM A EDUARDO COUTINHO E LEMBRANÇA DE JANGO, O PRESIDENTE DEPOSTO EM 1964, NO CINECLUBE DE MATEUS LEME


Por causa do Carnaval, o cineclube da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida não teve atividade nos dias 1º e 2 de março. A programação começa no próximo sábado, dia 8, às 17 horas, com a apresentação do filme "Edifício Master" (2002), de Eduardo Coutinho. A matéria do filme são as vidas de 37 moradores do edifício Master, situado numa das esquinas do bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. A exibição é uma homenagem ao grande documentarista brasileiro, falecido no mês passado. Acompanha o curta-metragem "Sanã" (2013), de Marcos Pimentel: no interior do Maranhão, um menino e suas buscas pela imensidão da paisagem.


No dia 15, às 17 horas, o cineclube apresenta "Todas as Mulheres do Mundo" (1967), de Domingos de Oliveira, com Leila Diniz, Paulo José e grande elenco. O filme conta a história de um rapaz "bon vivant" que se apaixona por uma professorinha e por causa dela renuncia a todas as mulheres do mundo. O curta é um filme experimental, "Dique" (2012), de Adalberto Oliveira: onde era um cenário paradisiaco, surge a urbanização caótica de uma cidade dormitório.


No dia 22, às 17 horas, o programa é constituído do longa "Corisco e Dadá" (1996), de Rosemberg Cariry, e do curta "A Musa do Cangaço" (1981), de José Umberto. O curta é um documentário centrado no depoimento de Dadá, que foi mulher de Corisco, subtenente do bando de Lampião. O longa é uma ficção baseada no caso de amor dos dois: Dadá foi raptada por Corisco quando tinha 12 anos de idade e na vida dura do cangaço o seu ódio se transformou em amor, humanizando o outro. Com Chico Dias e Dira Paes.


Finalmente, no dia 29, às 17 horas, o cineclube exibe "Jango" (1984), documentário de Sílvio Tendler sobre o ex-presidente João Goulart, deposto pelo golpe militar de 1964. Lançado exatos 20 anos depois, o filme fez um enorme sucesso de público, capturando a efervescência política da época, o Brasil sob a ditadura e a morte de Jango, cujos funerais foram proibidos pelos militares. A música de Milton Nascimento e Wagner Tiso se tornou a trilha sonora do movimento das Diretas Já. O curta é "Irmãs" (2011), documentário de Gian Orsini sobre o adágio: "Em tempo de guerra, mentira é como terra".


Aos domingos, às 17 horas, prossegue o projeto Cinepreciosidades, curado pelo escritor e cinéfilo Matheus Matheus, com a exibição de filmes raros, "cult", "underground" e contemporâneos, garimpados entre colecionadores e outras fontes.
Os filmes são exibidos em sala dotada de projeção e som digital e tela de 70 polegadas. O lugar tem 23 lugares. Os ingressos são distribuídos 30 minutos antes da sessão.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

GLAUBER, O FILME, O "TUDO BEM" DO JABOR, "ATERRO" E "MARIGHELLA" NO CINECLUBE EM FEVEREIRO

O cineclube da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida abre  sua programação de fevereiro com a apresentação, no próximo dia 1º, sábado, às 17 horas, do longa-metragem "Glauber o Filme, Labirinto do Brasil" (2003), de Sílvio Tendler. O filme é um documentário sobre a vida e a morte de Glauber Rocha, cineasta que revolucionou o cinema e a cultura brasileira.  Trata-se de um tributo à memória do artista, que praticou um cinema independente e libertário que influenciou o cinema mundial. O filme conquistou os prêmios de crítica e de público do festival de Brasília. Acompanha o curta-metragem "A Mata" (1999), de Águia Mendes e Renato Alves.

No dia 8, sábado, às 17 horas, o cineclube apresenta o filme de Arnaldo Jabor "Tudo Bem" (1978), com Fernanda Montenegro, Paulo Gracindo, Luiz Fernando Guimarães, Zezé Mota e José Dumont, entre outros. O equilíbrio doméstico de uma família de classe média, moradora na Zona Sul do Rio, é quebrado quando ela decide reformar o apartamento para o casamento da filha e tem de conviver durante vários dias com os operários encarregados da construção. Acompanha o curta-metragem "Cabaceiras" (2007), de Ana Barbara Ramos, sobre como a locação de vários filmes brasileiros afetou os moradores da cidade de Cabaceiras, na Paraíba. 
 
No dia 15, sábado, às 17 horas, será exibido o documentário "Aterro" (2011), primeiro longa-metragem do cineasta mineiro Marcelo Reis. O filme focaliza sete mulheres que foram pioneiras na catação e reciclagem do lixo que era produzido e depositado, em décadas passadas, onde hoje fica o bairro Morro das Pedras, em Belo Horizonte. Acompanha o curta-metragem "Anibal, um Carroceiro e seus Marujos" (1981), de Paulo Henrique Veloso Souto, sobre os esforços de populares de Montes Claros que se dedicavam em preservar manifestações culturais como a marujada, o catopê e a caboclada  no Norte de Minas.
 
No dia 22, sábado, às 17 horas, o cineclube apresenta o documentário "Marighella" (2010), de Carlos Pronzato, sobre a trajetória do militante político comunista Carlos Marighella, desde quando enfrentou a ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas, inspirando um livro famoso do jornalista David Nasser, "Falta Alguém em Nuremberg", até morrer numa emboscada preparada pelo delegado do Dops paulista Sérgio Fleury, quando lutava contra o regime militar de 1964. Acompanha o curta-metragem de ficção "Cowboy" (2011), de Tarcísio Lara Pulati.
 
Aos domingos, às 17 horas, prossegue o projeto Cinepreciosidades, curado pelo escritor e cinéfilo Matheus Matheus, com a exibição de filmes raros, "cult", "underground" e contemporâneos, garimpados entre colecionadores e outras fontes.
 
Os filmes são exibidos em sala dotada de projeção e som digital e tela de 70 polegadas. O espaço tem 23 lugares. Os ingressos são distribuídos 30 minutos antes da sessão.

domingo, 12 de janeiro de 2014

ASSOCIAÇÃO CASA DE CULTURA CÁSSIA AFONSO DE ALMEIDA. ESTATUTO SOCIAL (DE ACORDO COM O CÓDIGO CIVIL – LEI Nº. 10.406/2002).

ASSOCIAÇÃO CASA DE CULTURA CÁSSIA AFONSO DE 

ALMEIDA, doravante simplesmente designada neste estatuto de 

Associação, com sede e foro no município de Mateus Leme/MG, na Rua 

Meyer, nº 105, Bairro Vila Suzana, CEP: 35.670-000, é uma associação 

civil de direito privado, de caráter sociocultural, sem fins lucrativos, sem 

cunho político ou partidário, constituída por tempo indeterminado, regida 

pelo presente Estatuto e pelas demais disposições legais que lhe forem 

aplicadas, com a finalidade de atender a todos a que ela se associem, 

independentemente de classe social, nacionalidade, sexo, raça, cor e crença 

religiosa, constituindo-se pelo fundo social até agora pertencente ao 

Instituto Humberto Mauro, entidade registrada no Cartório de Registro 

Civil de Pessoas Jurídicas sob nº 56029, para quem o patrimônio deve 

retornar em caso de dissolução da Associação. 

I - DOS FINS

Enquanto associação civil sociocultural, a Associação tem como 

finalidades e objetivos principais:

1. Promover a manutenção, administração e as atividades da Casa de 

Cultura Cássia Afonso de Almeida, estabelecida no mesmo endereço e 

município; 

2. Defender os bens e direitos sociais, coletivos e difusos relativos ao 

patrimônio cultural material e imaterial mundial, do Brasil, do Estado de 

Minas Gerais e do município de Mateus Leme;

3. Propugnar pelos direitos humanos e a cidadania, tendo em vista o 

desenvolvimento humano e social e a qualidade de vida da comunidade em 

que se insere;

4. Buscar o desenvolvimento sustentável da cultura, por meio da prestação 

de serviços à comunidade, tendo em vista seu crescimento econômico e 

social;

5. Promover o voluntariado;

6. Defender a ética, a paz, a democracia e outros valores universais. 

II – DOS ASSOCIADOS

A Associação será formada por um número ilimitado de associados, 

podendo se filiar somente maiores de 18 anos, dispostos a seguir os 

propósitos estatutários da sociedade, mas sem responder, subsidiariamente, 

pelas obrigações sociais da Associação, estando distinguidos em três 

categorias:

a) Associados Fundadores: os que participaram da Assembleia Geral de 

fundação da Associação e que assinaram a ata de constituição, com direito 

a votarem e a serem votados em todos os níveis ou instâncias; e que contribuem financeiramente para a manutenção da Associação.

b) Associados Efetivos: quaisquer associados cujo ingresso 

tenha sido aprovado pelo Conselho Diretor; possuem direito de votar 

e de se candidatar a qualquer cargo eletivo da entidade, nesta última 

eventualidade depois de decorridos 2 (dois) anos de seu ingresso; e que 

contribuem financeiramente para a manutenção da Associação; 

c) Associados Beneméritos e Colaboradores: pessoas físicas ou jurídicas 

que, a critério do Conselho Diretor, e em seguida a decisão ratificada 

pela Assembleia Geral, sejam reconhecidas pela prestação de relevantes 

serviços à Associação, e/ou que contribuem com donativos e doações.

III – DOS DEVERES DOS ASSOCIADOS

Sobre os deveres dos associados fundadores e efetivos: 

a) Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto;

b) Respeitar e cumprir as decisões da Assembleia Geral;

c) Zelar pelo bom nome da Associação;

d) Defender o patrimônio e os interesses da Associação;

e) Cumprir e fazer cumprir o regimento interno;

f) Comparecer por ocasião das eleições;

g) Votar por ocasião das eleições; 

h) Denunciar qualquer irregularidade verificada dentro da Associação, para 

que a Assembleia Geral tome providências; 

i) prestigiar e defender a entidade, lutando pelo seu engrandecimento; 

j) trabalhar em prol dos objetivos da sociedade, respeitando os objetivos 

estatutários; 

k) estar presente às Assembleias Gerais; 

l) satisfazer os compromissos que contraiu com a Associação, inclusive 

as contribuições destinadas à sua autossustentação, honrando pontualmente com as obrigações associativas;

m) participar das atividades culturais, estreitando os laços de solidariedade 

e fraternidade entre os demais associados; 

n) observar na sede da entidade ou onde ela se faça representar as normas 

de boa educação e disciplina.

IV – DOS DIREITOS DOS ASSOCIADOS

Sobre os direitos dos sócios fundadores e efetivos quites com suas 

obrigações sociais:

a) Encaminhar ao Conselho Diretor da Associação sugestões e propostas de 

interesse sociocultural; 

b) solicitar ao Conselho Diretor reconsideração de atos que julguem não 

estar de acordo com os Estatutos; 

c) tomar parte dos debates e resoluções da Assembleia Geral; 

d) ter acesso às atividades e dependências da Associação; 

e) votar e ser votado para qualquer cargo eletivo, após 2 (dois) anos de 

filiação para os sócios efetivos; 

f) convocar Assembleia Geral, mediante requerimento assinado por 1/3 dos 

sócios efetivos;

g) pedir sua exclusão do quadro de associados;

h) gozar dos benefícios oferecidos pela entidade na forma prevista neste 

Estatuto.

V – DA ADMISSÃO DO ASSOCIADO

A admissão dos associados se dará independente de classe social, 

nacionalidade, sexo, raça, cor e crença religiosa, e para seu ingresso, o 

interessado deverá preencher ficha de inscrição, e submetê-la à aprovação 

do Conselho Diretor, que observará os seguintes critérios:

a) Cópia da Cédula de Identidade, CPF e comprovante de endereço;

b) Concordar com o presente estatuto, e expressar em sua atuação na 

entidade e fora dela, os princípios nele definidos;

c) Ter idoneidade moral e reputação ilibada;

d) Em caso de associado contribuinte, assumir o compromisso de honrar 

pontualmente com as contribuições associativas.

VI – DO DESLIGAMENTO DO ASSOCIADO

É direito do associado se desligar quando julgar necessário, protocolando 

junto à Secretária da Associação seu pedido de demissão.

VII – DA EXCLUSÃO DO ASSOCIADO

A exclusão do associado se dará nas seguintes questões:

a) Grave violação do Estatuto;

b) Difamar a Associação, seus membros, associados ou objetos sociais;

c) Atividades que contrariem decisões de Assembleias;

d) Desvio dos bons costumes;

e) Conduta duvidosa, atos ilícitos ou imorais;

f) Falta de pagamento de três parcelas consecutivas das contribuições 

associativas (no caso de associado contribuinte);

g) O associado excluído por falta de pagamento poderá ser readmitido 

mediante o pagamento de seu débito junto à tesouraria da Associação.

Parágrafo único – A perda da qualidade de associado será determinada pelo 

Conselho Diretor, cabendo sempre recurso à Assembleia Geral.

VIII – DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 

Sobre a estrutura da entidade e as inter-relações de suas unidades 

constitutivas, a Assembleia Geral, o Conselho Diretor e o Conselho Fiscal: 

A) Da Assembleia Geral 

a) A Assembleia Geral é o órgão máximo da entidade, na qual participam 

os sócios fundadores e os sócios efetivos que estejam em pleno gozo de 

seus direitos, conforme previsto nos Estatutos. 

b) A Assembleia Geral elegerá um Conselho Diretor e um Conselho Fiscal, 

definindo suas funções, atribuições e responsabilidades por meio de um 

Regimento Interno. 

c) A Assembleia Geral se reunirá ordinariamente, no final ou começo de 

cada ano, para exame dos atos administrativos do Conselho Diretor e do 

Conselho Fiscal, e, a cada dois anos, para eleger os membros desses dois 

Conselhos. Ela também pode se reunir, extraordinariamente, em qualquer 

ocasião, convocada pelo Conselho Diretor e/ou pelo Conselho Fiscal ou por 

1/3 dos sócios em pleno gozo de seus direitos. 

Sobre as atividades competentes à Assembleia Geral 

a) deliberar sobre o relatório de atividades e contas da sociedade 

apresentados pelo Conselho Diretor e pelo Conselho Fiscal; 

b) eleger o Conselho Diretor e o Conselho Fiscal; 

c) autorizar a alienação ou estabelecer ônus sobre os bens pertencentes à 

Associação; 

d) determinar e atualizar as linhas de ação política e cultural da entidade; 

e) estabelecer o montante da anuidade dos associados; 

f) decidir sobre a exclusão de um associado proposta pelo Conselho 

Diretor;

g) reformular os estatutos.

B) Do Conselho Diretor 

O Conselho Diretor é um órgão colegiado, composto por cinco sócios 

fundadores ou efetivos, com mandato de 2 (dois) anos, podendo ser 

reeleitos, responsável pela representação social e pela administração da 

entidade; o Conselho Diretor é constituído de um presidente, um vice-
presidente, um diretor secretário, um diretor tesoureiro e um diretor 

cultural. 

 Sobre as atividades competentes ao Conselho Diretor: 

a) cumprir e fazer cumprir os Estatutos e as resoluções da Assembleia 

Geral; 

b) aprovar a criação ou a extinção de comissões de trabalho e programas de 

atividades segundo objetivos bem definidos;

c) elaborar o orçamento anual; 

d) elaborar o Regimento Interno da Associação e apresentá-lo para 

aprovação à Assembleia Geral. 

e) cumprir as funções, atribuições e responsabilidades definidas no 

Regimento Interno aprovado pela Assembleia Geral;

f) contratar e destituir, a qualquer tempo, os funcionários remunerados; 

g) emitir parecer sobre as operações de crédito e aquisição de bens móveis 

ou imóveis. 

C) Conselho Fiscal 

O Conselho Fiscal, composto de três membros efetivos e dois suplentes, 

será eleito simultaneamente ao Conselho Diretor e na mesma Assembleia 

Geral Ordinária, com mandato de 2 (dois) anos, podendo seus membros 

serem reeleitos. 

Sobre as atividades que competem ao Conselho Fiscal: 

a) auxiliar o Conselho Diretor na administração financeira da Associação;

 

b) analisar e fiscalizar as ações do Conselho Diretor, sua prestação de 

contas e demais atos administrativos e financeiros;

c) convocar Assembleia Geral dos sócios a qualquer tempo, caso julgue 

necessário. 

IX – DAS ELEIÇÕES

As eleições para os Conselhos ocorrerão a cada dois anos em Assembleia 

Geral. Todos os sócios fundadores e efetivos, estes depois de 2 (dois) anos 

de sua admissão, podem concorrer participando de uma chapa somente, e 

serem reeleitos pelo mesmo período. 

As eleições serão convocadas por edital fixado na sede, com antecedência 

mínima de 60 (sessenta) dias do término dos seus mandatos. Nos 

primeiros 15 (quinze) dias deverão ser registradas na Secretaria as chapas 

concorrentes. Pode ser eleito a qualquer cargo, todo associado contribuinte 

pessoa física, maior de 18 (dezoito) anos, quite com as obrigações sociais, 

comprovados através da Secretaria da Associação.

X – DA PERDA DE MANDATO

Perderão o mandato os membros que incorrerem em:

I. Malversação ou dilapidação do patrimônio social;

II. Grave violação deste Estatuto;

III. Abandono de cargo, assim considerada a ausência não justificada em 

03 (três) reuniões ordinárias consecutivas, sem a expressa comunicação à 

Secretaria da Associação;

IV. Aceitação de cargo ou função incompatível com o exercício do cargo 

da Associação;

V. Conduta duvidosa.

Parágrafo Único – A perda do mandato será declarada pelo Conselho 

Diretor e homologada pela Assembleia Geral convocada somente para este 

fim, nos termos da Lei, onde será assegurado o amplo direito de defesa.

XI – DA RENÚNCIA

Em caso de renúncia de qualquer membro do Conselho Diretor ou do 

Conselho Fiscal, o cargo será preenchido pelos suplentes, se houver; se não houver, será convocada uma nova eleição para o cargo vago.

Parágrafo Primeiro – O pedido de renúncia se dará por escrito, devendo ser 

protocolado na Secretaria da Associação, que o submeterá dentro do prazo 

de 30 (trinta) dias no máximo, a deliberação da Assembleia Geral.

Parágrafo Segundo – Ocorrendo renúncia coletiva da Diretoria e Conselho 

Fiscal, e respectivos suplentes, qualquer dos sócios poderá convocar 

a Assembleia Geral que elegerá uma comissão eleitoral de 05 (cinco) 

membros, que administrará a entidade e fará realizar novas eleições no prazo 

de 30 (trinta) dias. Os membros eleitos nestas condições complementarão o 

mandato dos renunciantes.

XII - DA REMUNERAÇÃO

A Associação não remunera os membros do Conselho Diretor e do 

Conselho Fiscal, não distribuindo rendimentos a qualquer título ou sob 

nenhum pretexto, sendo que os excedentes de receita, eventualmente 

apurados, serão obrigatória e integralmente aplicados no desenvolvimento 

dos objetivos institucionais. 

XIII - DA RESPONSABILIDADE DOS MEMBROS

Os membros não respondem, nem mesmo subsidiariamente, pelos encargos 

e obrigações sociais da Associação.

XIV - DO PATRIMÔNIO

O patrimônio da Associação será constituído e mantido:

I. Das contribuições dos associados contribuintes;

II. Das doações, legados, bens e valores adquiridos e suas possíveis rendas;

III. Dos aluguéis de imóveis e juros de títulos ou depósitos.

A Associação poderá aceitar ajudas, contribuições ou doações, depois de 

examinadas e aprovadas as ofertas pelo Conselho Diretor, bem como firmar 

convênios com organismos ou entidades públicas ou privadas, contanto 

que não impliquem em sua subordinação a compromissos e interesses 

que conflitem com seus objetivos e finalidades ou tragam riscos à sua 

independência. 

Todo o acervo e equipamentos pertencentes à Associação, adquiridos ou 

recebidos por meio de doações, convênios, projetos ou similares, incluindo 

quaisquer produtos, são bens permanentes e inalienáveis da sociedade, 

salvo autorização em contrário expressa pela Assembleia Geral dos 

associados. 

XV- DA REFORMA ESTATUTÁRIA

O presente Estatuto poderá ser reformado no tocante à administração, 

no todo ou em parte, a qualquer tempo, por deliberação da Assembleia 

Geral, especialmente convocada para este fim, composta de associados 

contribuintes quites com suas obrigações sociais, nos termos da Lei.

XVI - DA DISSOLUÇÃO

A Associação poderá ser dissolvida a qualquer tempo, por deliberação 

da Assembléia Geral, especialmente convocada para este fim, composta 

de associados quites com suas obrigações sociais, não podendo ela 

deliberar sem voto concorde de dois terços dos presentes, e obedecendo aos 

seguintes requisitos:

I. em primeira chamada, com a maioria absoluta dos associados;

II. em segunda chamada, meia hora após a primeira, com um terço dos 

associados;

Parágrafo Único – Em caso de dissolução social da Associação, liquidado 

o passivo, os bens remanescentes, serão destinados ao Instituto Humberto Mauro e, no caso deste renunciar a esse privilégio, a outra entidade 

congênere, com personalidade jurídica comprovada, com 

sede e atividade preponderante nesta cidade e devidamente registrada nos 

órgãos públicos, nos exatos termos deste Estatuto.

XVII - DO EXERCÍCIO SOCIAL

O exercício fiscal terminará em 31 de dezembro de cada ano, quando serão 

elaboradas as demonstrações financeiras da Associação, de conformidade 

com as disposições legais.

XVIII – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

I. Os bens patrimoniais da Associação não poderão ser onerados, permutados 

ou alienados sem a autorização da Assembleia Geral, convocada 

especialmente para esse fim. 

II. Nenhuma categoria dos sócios responde, nem mesmo subsidiariamente, 

pelas obrigações ou compromissos assumidos pela Associação. 

III. A elaboração e modificação do “Regimento Interno” da Associação são 

de responsabilidade do Concelho Diretor, que apresentará sugestão para o 

primeiro texto.

IV. A Associação compromete-se a honrar os compromissos, convênios, editais etc. assinados pelo Instituto Humberto Mauro enquanto este esteve à frente da Casa de Cultura Cássia Afonso de Almeida.  

V. Os casos omissos serão resolvidos pelo Conselho Diretor, com recurso, se 

for o caso, para a Assembleia Geral.

Mateus Leme/MG, 19 de janeiro de 2013.

(Assinam, pela ordem, com nomes completos e funções, os fundadores, 

presidente e demais diretores).

(Registre-se no Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas).

-------------------------------------------------------------------------------------------

Texto com colaboração de Wilson Campos (Advogado/Presidente da 

Comissão de Defesa da Cidadania e dos Interesses Coletivos da Sociedade, 

da OAB/MG).

-------------------------------------------------------------------------------------------